Home Economia Brasil Contas Públicas Ajuste das contas públicas deve levar alguns anos, diz Temer

Ajuste das contas públicas deve levar alguns anos, diz Temer

0

Segundo o presidente, os brasileiros acostumaram-se a ouvir “bilhões e bilhões” ao se falar do déficit nas contas

Brasília – O presidente Michel Temer destacou nesta segunda-feira, durante evento promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que a economia já dá sinais de melhora, com a redução da inflação, mas ponderou que serão necessários alguns anos para ajustar as contas públicas.

“Nós conseguimos, nesse breve período, como todos acompanharam, reduzir o fenômeno inflacionário de 10,70% para hoje 4,55%, a indicar que logo ao final do ano estaremos em torno de 4%, portanto abaixo da meta de 4,5%”, afirmou.

Segundo o presidente, que destacou a importância da aprovação da PEC do teto dos gastos, os brasileiros acostumaram-se a ouvir “bilhões e bilhões” ao se falar do déficit nas contas, mas que é preciso salientar que “não se combate o déficit em um ou dois exercícios financeiros”.

“A nossa procura é que quem sabe daqui a dez anos em que só se gasta aquilo que se arrecada”, afirmou.

“Se olharmos hoje a situação fiscal de muitos Estados, vemos como déficit atrapalha a vida dos trabalhadores. Estamos superando isso com apoio do congresso nacional, sempre com muito diálogo”, completou.

Pesquisa

Temer destacou a importância do IBGE e disse que é por meio de pesquisas “que podemos formular políticas eficientes e eficazes”.

Temer disse ainda que “traçar diagnóstico preciso de nossa economia há de ser a primeira tarefa que se dedica o nosso governo” e que logo no início da sua gestão deu transparência às contas públicas, “sem malabarismos tributáveis”.

O presidente destacou a importância dos dados para corroborar as reformas e disse que “é fundamental que o diálogo esteja lastreado em informações verdadeiras”.

Ele disse ainda que “ninguém esconde ou ignora dados” e que “ninguém vai falsear dados” e aproveitou para fazer a defesa da reforma da previdência.

“A população esta vivendo mais por isso a reforma da previdência é inadiável”, disse. “Nosso propositivo maior é o desenvolvimento com igualdade de oportunidades.”

O presidente agradeceu ainda o fato de receber a Medalha do Mérito Político Getulio Vargas e disse que “quem quer governar atenta e cuidadosamente há de ter pesquisas, há de ter dados”.

“Sou daqueles advogados das verbas para o IBGE afim de que possa fazer um bom trabalho pelo Brasil”, completou.

Em seu discurso, o presidente do IBGE, Paulo Rabello de Castro, agradeceu ao presidente e também ao ministério do Planejamento e disse que a pasta já garantiu a possibilidade de contratação de 26 novos recenseadores para trabalhar de outubro até fevereiro.

Ao agradecer Temer, Castro disse ainda que o último presidente da República que esteve num evento similar do IBGE foi Getúlio Vargas há 80 anos.

Temer reconheceu a necessidade de sair do seu gabinete e disse que “quando a gente fica muito naquela sala da presidência você só recebe problemas”. “Aqui você recebe entusiasmo e sai com a alma cheia de esperança”, afirmou.

Evento

O 3º Encontro Nacional de Chefes de Agências do IBGE, que acontece nesta segunda-feira no Centro de Convenções em Brasília, é uma reunião interna de alinhamento e preparação para o Censo Agropecuário 2017, cobrindo temas relativos à operação censitária, logística, tecnologia e comunicação. Segundo o órgão, a coleta do Censo Agro começa em 1º de outubro.

 

Carregar outros posts relacionados

Check Also

Seis filmes que ensinam sobre finanças pessoais

Um casal afundado em dívidas que após perder toda a fortuna que ganhou em um prêmio de lot…