Home Economia Brasil Brasil tem queda em quantidade e patrimônio de ultrarricos

Brasil tem queda em quantidade e patrimônio de ultrarricos

0

Brasil é o 14º país com mais pessoas com patrimônio acima de US$ 30 milhões: estes 3.570 ultrarricos têm uma riqueza conjunta de US$ 451 bilhões

São Paulo – O Brasil tem 3.570 ultrarricos com uma riqueza conjunta de 451 bilhões de dólares, de acordo com o último relatório da consultoria Wealth X.

Mas 2016 foi um ano de quedas: 1,1% no número de membros do grupo e 9,6% no patrimônio.

Grande parte desta mudança pode ser atribuída à desvalorização do real, também relacionada à instabilidade política.

“Enquanto Estados Unidos, Japão, Índia e Indonésia geraram uma riqueza adicional substancial, perdas consideráveis foram registradas no Reino Unido, Rússia, México e Brasil. Movimentos cambiais foram um componente chave da sorte contrastante”, diz o texto.

São definidos como ultrarricos aqueles com patrimônio líquido individual acima de 30 milhões de dólares.

No mundo, há 226.450 pessoas nessa categoria (3,5% a mais do que no ano anterior) com uma riqueza conjunta de US$ 27 trilhões (crescimento de 1,5%).

Apenas 12,8% são mulheres, 66,4% construíram o próprio patrimônio (não são herdeiros) e o setor financeiro é primeiro lugar entre as fontes de riqueza (apesar do setor de tecnologia estar despontando).

América do Norte e Ásia continuaram com crescimento forte nessa população em 2016, enquanto as regiões do Pacífico e Oriente Médio tiveram pequenas altas e América Latina e África perderam riqueza no topo.

Os 7 países com mais ultrarricos são, na ordem: Estados Unidos, Japão, China, Alemanha, Reino Unido, França e Canadá. O Brasil aparece em 14º lugar.

Cidades

A área metropolitana de Nova York consolidou sua posição como centro preferido da elite ao abrigar 8.350 destes multimilionários, crescimento de 9% sobre o ano anterior.

Em seguida vem Hong Kong (7.650 ultrarricos), Tóquio (6.040) e as áreas metropolitanas de Los Angeles (4.600) e Londres (3.630) – única queda no top 10, um efeito direto da decisão do país de sair da União Europeia, que derrubou a libra esterlina.

Das 30 cidades com mais ultrarricos, mais da metade está nos Estados Unidos. Áreas metropolitanas de cidades como Chicago, Washington, Dallas e São Francisco estão bem posicionadas.

Países como China e Alemanha tem uma dispersão grande da sua elite e por isso só aparecem com uma representante cada na lista de cidades, e bem para o final da lista.

O top 30 não tem nenhuma cidade da América Latina, da África, do Oriente Médio ou do Pacífico.

Futuro

A população global de ultrarricos deve encostar em 300 mil pessoas até 2021, o que significa 72 mil novos membros nos próximos anos.

A riqueza total chegaria a 35 trilhões de dólares, 8,7 trilhões a mais do que atualmente, tudo de acordo com o relatório da consultoria.

O relatório aponta mudanças no padrão de consumo desta elite, menos voltado para bens tangíveis (o jatinho ou o casaco) e mais para “experiências” de luxo (como viagens exóticas).

Um desafio a esse enriquecimento será o cerco cada vez maior das autoridades à evasão fiscal e aos paraísos fiscais, proporcionalmente mais utilizados pela elite da elite do que pela população em geral.

Carregar outros posts relacionados

Check Also

Seis filmes que ensinam sobre finanças pessoais

Um casal afundado em dívidas que após perder toda a fortuna que ganhou em um prêmio de lot…