Home Economia Brasil Mercado Financeiro Dólar termina com leve baixa com cena política em foco

Dólar termina com leve baixa com cena política em foco

0

Muitos no mercado acreditam que Temer não vai continuar na Presidência, mas esperam que seu substituto continue com a agenda de reformas

São Paulo – O dólar encerrou a terça-feira com leve baixa ante o real, marcando o oitavo dia seguido “preso” no intervalo de 3,25 e 3,30 reais com os investidores atentos à cena política após a crise que atingiu o governo do presidente Michel Temer.

O dólar recuou 0,23 por cento, a 3,2621 reais na venda, depois de chegar a 3,2726 reais na máxima do dia e a 3,2554 reais na mínima. O dólar futuro tinha leve alta de 0,10 por cento.

“O pior cenário é o presidente ficar sangrando no cargo”, destacou o analista econômico da gestora Rio Gestão, Bernard Gonin.

Temer é investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes, entre outros, de corrupção passiva após delações de executivos do grupo J&F.

Muitos no mercado acreditam que ele não vai continuar na Presidência, mas acreditam ao mesmo tempo que quem o substituir vai continuar com a agenda de reformas.

Por isso, o julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a cassação da chapa Dilma Rousseff-Temer para as eleições de 2014, marcado para iniciar no próximo dia 6, está no centro das atenções dos investidores.

Enquanto isso, o governo se esforça para tentar dar continuidade às reformas. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a Casa vai retomar em poucas semanas discussão da reforma da Previdência.

Por outro lado, a expectativa de que a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado votaria o parecer da reforma trabalhista ainda nesta sessão foi frustrada. A votação deve ficar para a próxima semana.

Já a votação em plenário deve acontecer em meados de junho, informou o relator da reforma trabalhista no Senado, Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

“A votação (da reforma trabalhista) com um resultado substancial para o governo poderia melhorar o sentimento em relação à (reforma) da Previdência”, avaliou um operador de uma corretora local.

O Banco Central fez nesta sessão o último leilão de swaps cambiais tradicionais –equivalentes à venda futura de dólares–, para rolar os contratos que vencem em junho. Vendeu a totalidade dos 8,7 mil contratos ofertados, somando os 4,435 bilhões do vencimento.

Em julho, vencem o equivalente a 6,939 bilhões de dólares em swap cambial tradicional. O estoque total de swaps hoje está em quase 28 bilhões de dólares.

 

Carregar outros posts relacionados

Check Also

Seis filmes que ensinam sobre finanças pessoais

Um casal afundado em dívidas que após perder toda a fortuna que ganhou em um prêmio de lot…