Home Economia Brasil Empresas UE aplica multa recorde a montadoras de caminhões

UE aplica multa recorde a montadoras de caminhões

0

Elas foram condenadas por fixar preços e operar sistema secreto para adiar instalação de novas tecnologias para reduzir poluição emitida por seus motores

A União Europeia decidiu aplicar uma multa recorde de 2,9 bilhões de euros contra cinco montadoras de caminhões, como parte de uma tendência de punir violações à livre concorrência no bloco econômico de 28 países. As empresas MAN, DAF, Daimler, Iveco e Volvo-Renault foram condenadas por fixar preços e por operar um sistema secreto para adiar a instalação de novas tecnologias para reduzir a poluição emitida por seus motores.

A MAN, que é controlada pela alemã Volkswagen, não está entre as empresas multadas, ainda que tenha feito parte dos acordos secretos com as demais empresas. A UE decidiu que, como a companhia delatou o sistema e cooperou com as investigações, a multa de 1,2 bilhão de euros seria suspensa.

Ainda assim, o envolvimento é mais uma notícia ruim para a Volkswagen, mergulhada em uma crise depois de ter fraudado testes antipoluição em seus automóveis a diesel em todo o mundo.

Sanções – A maior pena será aplicada contra a Daimler que, sozinha, terá de arcar com mais de 1 bilhão de euros – uma punição recorde do bloco econômico recorde para apenas uma empresa. Juntas, as cinco montadoras produzem aproximadamente 90% dos veículos pesados do mercado europeu.

“Estabelecemos hoje um marco ao impor multas em valores recorde para uma violação séria”, disse Margrethe Vestager, a comissária da União Europeia para a Concorrência. “Por 14 anos, (essas companhias) fixaram preços e passaram os custos de atender aos padrões ambientais aos consumidores. Isso é também uma clara mensagem para as empresas de que cartéis não são aceitos”, completou.

Em resposta à multa, a alemã Daimler afirmou que “lamentava” o ocorrido e que já vinha adotando “medidas apropriadas há algum tempo” para a correção do problema. De acordo com a empresa, a multa faz parte de um acordo com a Comissão Europeia e que, desde então, seus controles internos foram fortalecidos.

Segundo a investigação, o cartel operou entre 1997 e 2011. Entre os aspectos acordados entre as empresas de forma sigilosa estava a implementação de novas tecnologias de emissões. Houve também um acordo para repassar o custo dos novos padrões ambientais aos consumidores.

Além da Daimler, a holandesa DAF terá de pagar 753 milhões de euros, a sueca Volvo terá de arcar com 670 milhões de euros e a Iveco (do grupo italiano Fiat) terá de desembolsar mais 500 milhões de euros. “Reuniões eram realizadas entre altos executivos, às vezes às margens de exposições e outros eventos”, declarou a UE. “Isso era complementado por conversas telefônicas.”

Regras – As multas foram anunciadas menos de uma semana depois que a Comissão Europeia tomou novas medidas contra o gigante da internet Google. Pelas novas regras, a UE pode impor sanções de até 10% das vendas mundiais de uma empresa.

O recorde, até a terça-feira, era a multa imposta em 2012 para as empresas de produtos eletrônicos Philips e LG, também por formação de um cartel de preços. A pena, neste caso, foi de 1,4 bilhão de euros.

(Com Estadão Conteúdo)

Carregar outros posts relacionados

Check Also

Seis filmes que ensinam sobre finanças pessoais

Um casal afundado em dívidas que após perder toda a fortuna que ganhou em um prêmio de lot…